MIME-Version: 1.0 Content-Location: file:///C:/2748D812/FocoRegional_2303_2.htm Content-Transfer-Encoding: quoted-printable Content-Type: text/html; charset="us-ascii" Foco Regional, 23 de março de 08

F= oco Regional, 23 de março de 08

F= echando a pauta

Sindicato dos Metalúrgicos estima que proposta de reajuste à CSN incluirá até 10% de aumento real

A assembléia d= os metalúrgicos que vai definir a pauta de reivindicações para o acordo salarial com a CSN só ocorrerá no dia 3 de abril – quinta-feira da semana que vem – mas o Sindicato dos Metalúrgicos avalia que o principal item da proposta, o reajuste salarial, deverá ser o pagamento do INPC mais um aumento real que po= de chegar a 10%. A informação foi dada pelo presidente do sindic= ato, Renato Soares, na quarta-feira da semana passada. Segundo ele, o sindicato = se baseia em estudos do Dieese (Departamento Intersindical de Estatísticos e Estudos Sócio-econômico= s). "O Dieese estima o INPC, em 1º de mai= o, entre 5,2% e 5,5%", disse o sindicalista.

Ele disse també= ;m acreditar que há uma expectativa muito grande entre os trabalhadores= da empresa em torno da negociação deste ano, pelo fato de a CSN = ter divulgado, recentemente, o lucro líquido recorde de R$ 2,9 bilh&otil= de;es em 2007, 150% maior do que o registrado no ano anterior. Renato afirmou que= a recuperação salarial é importante para a própria CSN, voltando a alertar que a empresa perde com o que chama de "rotatividade de mão-de-obra", perdendo trabalhadores para outras empresas: "Antes, era para a Petrobras, Tr= anspetro e CSA (Companhia Siderúrgica do Atlântico), mas agora também a CSN está perdendo pessoal para empresas da região, como a Votorantim e a Volkswagen".

‘Economia está aquecida’= ;, diz presidente do sindicato

O presidente do sindi= cato lembrou que, desde que foi implantada a livre negociação entre empresas e empregados, houve um achatamento do nível salarial na siderúrgica de Volta Redonda, citando os dois anos em que os trabalhadores não tiveram reajuste. Ele entende, no entanto, que o momento agora é outro, devido ao aquecimento da economia. "Ante= s, não havia oferta de emprego, mas agora é diferente e quem rec= ebe uma proposta melhor acaba indo embora. Isso não é interessante para a CSN", ressaltou.

Para definir a pauta = de reivindicações, o sindicato fez uma pesquisa junto aos empreg= ados da empresa – bem como das demais de sua base – durante dois dia= s. Na quinta-feira foi realizada uma plenária no Clube Umuarama, na Vila Santa Cecília. A assembléia para a aprovação da pauta, que será entregue à direção da companhia= no dia 4 de abril, está marcada para 17 horas na Passagem Superior.

No ano passado, o aco= rdo salarial na CSN foi fechado depois de uma greve mal sucedida na primeira negociação feita pela atual diretoria do sindicato. Apó= ;s quatro dias de tentativa de parar a Usina Presidente Vargas, o acordo foi fechado = na Justiça do Trabalho e acabou sendo vencedora a última proposta que a empresa apresentara: 5% de reajuste (INPC de 3,44% mais 1,5% de aumen= to real) e R$ 2 mil de abono.